Tag Archives: conto assustador

A Garota Que Nada Falava, Conto escrito por Igor Trindade

26 jan

Era uma noite chuvosa e aquela garota que não aparentava ter mais de 8 anos estava andando em meia a aquela chuva gelada. Via pela janela aquela pobre criatura que não tinha onde abrigar-se da chuva, que logo ficaria doente. E eu, sendo uma pessoa de coração bom, decidi chama-lá para que esperasse a chuva passar dentro de minha casa.

Abri a porta e a garota estava agora tentando abrigar-se embaixo de um árvore inúltimente. Chamei-a.
– Garota, venha… entre em minha casa, você pode ficar enquanto a chuva não para!
A garota surpreendeu-se com o convite, vi em seu olhar uma expressão de agradecimento.
A garota entrou em minha casa, estava muito molhada e tremendo de frio. Então pedi a ela que tomasse um banho e logo em seguida utilizasse as roupas secas de minha filha de 10 anos, que no momento está viajando junto de minha mulher. E sendo que trabalho, não pude ir junto acompanhando-as nesta viagem.
A garota fez o que pedi a ela, agora já estava utilizando roupas secas e quentes, mas estranhamente a garota não havia pronunciado nenhuma palavra desde que a convidei para entrar, e um pouco depois conclui que a garota era muda.

O Quilombo Esquecido – Conto Escrito por Brito of The Dead

16 out

 

Jitu observava o vale escondido sob as moitas, estava satisfeito consigo mesmo por ter escapado dos capitães do mato que o seguiam juntamente com seus cães ferozes ansiosos por sangue de um escravo fugido, seu único arrependimento era ter deixado sua preciosa Chiku tagarela para trás sentiu um grande aperto no coração só de imaginar o que ela sofria nas mãos do patrão, ela era assediada toda noite e se não cedesse a perversão do senhor ela apanhava bastante, mais Chiku era mulher forte nunca dava um pio e nem reclamava quando era chicoteada sem dó pelo capataz e sempre vinha  a noite chorar em seus braços e Jitu prometia uma vida melhor, uma vida de princesa pois era isso que ela tinha sido antes de vir com as malditas caravelas, aqueles açougues que atravessavam o oceano com seus irmãos a bordo sofrendo as piores injustiças, mais mesmo nessa época ela tinha sido muito forte e resistido bem.